Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Sun Sep 26 18:34:41 UTC 2021 Sun Sep 26 18:34:41 UTC 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:16:10 18/03/2021 |COMÉRCIO E SERVIÇOS |MEIO AMBIENTE |SUDESTE

Ultima atualização: 19:29 18/03/2021

André Telles/BNDES
Novo parque expandiu áreas dedicadas aos animais

A cidade do Rio de Janeiro ganhou nesta quinta-feira, 18, um novo espaço de lazer, turismo e educação ambiental: o BioParque do Rio, que passa a funcionar no local onde ficava o zoológico da Quinta da Boa Vista. O projeto foi viabilizado por um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que aprovou, no fim de 2018, R$ 51,8 milhões para investimentos na reestruturação e modernização do espaço.

O apoio do Banco ao projeto permitiu uma mudança conceitual, além de viabilizar investimentos em infraestrutura, que incluem reforma das áreas de alimentação e lazer, auditório e hospital veterinário. O novo parque atuará como um centro de conservação da vida selvagem, expandindo as áreas dedicadas aos animais e à reprodução de seus habitats. Todos os espaços expositivos foram modificados com base nessa lógica, a fim de conferir mais bem-estar ao animal.

Os investimentos ficaram a cargo da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Riozoo Zoológico do Rio de Janeiro S/A (RioZoo), concessionária do espaço. A empresa é controlada pelo Grupo Cataratas, que possui experiência em outros empreendimentos turísticos ligados à natureza, entre eles o AquaRio e a Paineiras do Corcovado, na capital do Rio, e as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

FOTO ANDRE TELLES 5281 BNDES BIO PARQUE RIO DE JANEIRO 16 MAR 2021

Espera-se que o BioParque, além de aumentar sua atratividade para os cidadãos cariocas, reforce o "capital turístico" da cidade do Rio de Janeiro, um dos principais destinos do turismo de lazer na América do Sul.

O projeto inclui ainda ações de educação e preservação ambiental. O BioParque firmou parcerias com instituições de pesquisa para desenvolver estudos de reprodução e proteção de espécies ameaçadas, restauração ambiental e reintrodução de fauna. Também serão desenvolvidas ações com escolas. A visitação será gratuita para aquelas que integram a rede pública municipal.

 

Assista ao vídeo: