Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Sat Jan 28 16:40:12 CET 2023 Sat Jan 28 16:40:12 CET 2023

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:15:25 23/12/2022 |INFRAESTRUTURA

Ultima atualização: 17:22 26/12/2022

Eve Air Mobility

- Projeto de alta tecnologia é executado pela Eve, empresa da Embraer que atua no crescente setor de mobilidade aérea urbana

- Com expectativa de lançamento no mercado em 2026, o eVTOL da Eve permitirá voos urbanos com zero emissão e ruídos até 90% inferiores aos de helicópteros

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento à Eve Soluções de Mobilidade Aérea Urbana Ltda (Eve), companhia independente fundada pela Embraer, para a primeira fase do desenvolvimento de aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL da sigla em inglês). Conhecido também como carro voador, o eVTOL da Eve será projetado para realizar voos urbanos e proporcionará baixos níveis de ruído e maior sustentabilidade em relação aos veículos tradicionais. Com zero emissões locais, o veículo deverá estar disponível no mercado a partir de 2026.

O BNDES financiará R$ 490 milhões dos investimentos, o correspondente a 75% do total investido nesta fase do desenvolvimento do projeto, voltada à pesquisa e desenvolvimento (P&D), que é de R$ 652 milhões. Desse valor R$ 80 milhões serão oriundos do Programa BNDES Fundo Clima (subprograma Mobilidade Urbana) e R$ 410 milhões serão provenientes da Linha Finem – Incentivada A/Inovação.

O veículo será 100% elétrico à bateria e inicialmente capaz de transportar quatro passageiros e mais o piloto, por uma distância de até 100 quilômetros. Os ruídos emitidos pela aeronave serão em até 90% inferiores aos de helicópteros.

O mercado de mobilidade aérea urbana será impulsionado nas próximas décadas por fatores como crescentes populações urbanas, limitações de espaço terrestre e altos custos de aperfeiçoamento de infraestrutura, bem como altos índices de poluição local dos meios de transporte tradicionais. Com uma tecnologia inovadora, os eVTOLs possibilitarão viagens curtas mais rápidas que os meios tradicionais e com zero emissões locais de gases de efeito estufa.

“Estamos muito orgulhosos do apoio do BNDES ao desenvolvimento do eVTOL. A operação é especialmente emblemática no âmbito do Fundo Clima, ao contemplar o desenvolvimento de um produto disruptivo e que mitigará a emissão de gases de efeito estufa. Trata-se de um enorme esforço inovador realizado no Brasil por engenheiros altamente qualificados. O sucesso no desenvolvimento do eVTOL permitirá o ingresso num segmento de mercado de alta intensidade tecnológica. Vale ressaltar que essa operação constitui mais um marco da longa parceria estratégica entre o BNDES e a Embraer, iniciada em 1997”, comenta Bruno Aranha, diretor de crédito produtivo e socioambiental do BNDES.

“Nós estamos muito felizes com a confiança e apoio que o BNDES tem mostrado à Eve, enquanto avançamos no desenvolvimento de nossa aeronave elétrica com zero emissões e continuamos a nos comprometer com a neutralidade de carbono em todo o ciclo de vida da aeronave”, disse André Stein, co-CEO da Eve. “Esse apoio vai não só acelerar a inovação, mas também a ascensão de uma nova forma de aviação mais sustentável com as aeronaves eVTOL, ajudando a transformar a indústria e a mobilidade urbana, e reduzindo a poluição sonora e o custo dos voos urbanos. O BNDES será um parceiro fundamental para completarmos o desenvolvimento do nosso portfólio de produtos e serviços.”

A consumação do financiamento está sujeita ao cumprimento de condições prévias fixadas pelo BNDES, dentre outros, e à assinatura do respectivo contrato.

Imagem: https://tinyurl.com/Eve-BNDES