BNDES - Agência de Notícias

23:21 20 de September de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:13:49 03/08/2020 |INSTITUCIONAL

Ultima atualização: 12:30 04/08/2020

André Telles/BNDES
Marca foi alcançada na sexta, 29. Medidas visam preservar cadeias produtivas e saúde dos brasileiros

• Mais de 163 mil empresas foram beneficiadas, preservando um número estimado de cinco milhões de empregos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) alcançou na sexta-feira, 29, a marca de R$ 30 bilhões aprovados nas linhas emergenciais implementadas para atenuar as consequências econômicas causadas pela Covid-19. O apoio do BNDES beneficiou, até o momento, mais de 163 mil empresas, contribuindo para a manutenção de um número estimado em cinco milhões de empregos.

As medidas emergenciais também tiveram como foco preservar as cadeias produtivas nacionais e a saúde dos brasileiros.As iniciativas voltadas às micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) receberam atenção especial do BNDES, em virtude da importância econômica e social dessas atividades. 

Somente o Programa Emergencial de Suporte a Empregos (R$ 4,6 bi aprovados), a linha BNDES Crédito Pequenas Empresas (R$ 6 bi aprovados), o Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (R$ 3,4 bi realizados por meio da garantia) e a suspensão de pagamentos para operações indiretas automáticas (R$ 3,1 bi aprovados) possibilitaram a manutenção de um número estimado em quatro milhões de postos de trabalho. 

Gentile Fachinelli é o dono da TSPro, uma empresa de fabricação de máquinas e soluções para transferência de fluidos industriais em Guarulhos (SP). A pandemia fez com que os pedidos se reduzissem em 60%. Segundo ele, o financiamento do BNDES foi fundamental para a continuidade das atividades durante a crise. "Com esse dinheiro, colocamos em dia os tributos e mantivemos todos os nossos funcionários. O financiamento está nos ajudando a manter as operações. Não vamos desistir".

Já as iniciativas do BNDES para preservar a saúde das pessoas tiveram como foco principal o Programa Emergencial para o Setor de Saúde (R$ 305 milhões aprovados), que resultou, até o momento, na aquisição de 2.870 leitos, 4,5 milhões de testes, 1.500 monitores e outros 220 respiradores para o tratamento de pacientes com Covid-19. 

Além disso, a campanha de financiamento coletivo Matchfunding Salvando Vidas (R$ 35 milhões captados) já entregou cerca de 14 milhões de equipamentos de proteção individuais (luvas, aventais, toucas, máscaras e álcool em gel) a 164 hospitais de 20 estados. 

No apoio às grandes empresas, o BNDES estabeleceu linhas de suspensão de pagamentos para operações diretas — setor privado (R$ 7,8 bi aprovados) e suspensão de pagamentos para operações indiretas não-automáticas (R$ 1,2 bi aprovado) para todos os setores da economia. 

Por fim, as ações emergenciais junto ao setor público tiveram como foco a manutenção da capacidade financeira de Estados e municípios para enfrentamento da pandemia. Nesse contexto, a linha de standstill para o setor público adiou temporariamente R$ 3,3 bilhões em dívidas contraídas junto ao BNDES. Outra iniciativa foi o repasse emergencial de recursos para todos os 13 Estados que possuem contratos ativos com o Banco.

PIS/PASEP - Além desses R$ 30 bilhões em ações emergenciais, o BNDES também transferiu R$ 20 bilhões do fundo PIS/PASEP, gerido pelo Banco, para o FGTS. Essa medida visa a apoiar o trabalhador com a possibilidade de novos saques do fundo, além de liberar recursos para outras iniciativas de combate aos efeitos da pandemia. Somadas as ações e a transferência, o apoio financeiro do BNDES chegou a R$ 50 bilhões.