BNDES - Agência de Notícias

19:17 01 de June de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:17:49 03/03/2020 |ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA |NORTE

Ultima atualização: 10:01 04/03/2020

Fotos: Cláudio Torres/Divulgação MMFDH
Cerimônia de assinatura do acordo de cooperação entre o BNDES e a União no Palácio do Planalto, em Brasília

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH) firmaram, nesta terça-feira, 3, em Brasília, o acordo de cooperação para apoiar o projeto Abrace o Marajó. Estão previstas a elaboração de diagnósticos e mapeamento de políticas, programas, projetos e ações governamentais a serem implementados para superar os problemas socioeconômicos dos municípios do arquipélago.

O acordo foi assinado pelo presidente do banco de fomento, Gustavo Montezano, e pela ministra Damares Alves e terá vigência de 36 meses, prorrogável mediante aditivo até o limite de 60 meses. “Vamos ajudar a levar o Estado para o Marajó, levar desenvolvimento para combater as injustiças sociais”, afirmou Montezano. “Nenhuma demanda é mais atual do que participar de um esforço conjunto com o governo de resgate de cidadania e inclusão social desses 16 municípios que vivem à margem de saneamento, de escolas e demais serviços públicos”.

A ministra prestou seus agradecimentos ao presidente do BNDES. “Obrigado por ter acreditado neste sonho“, disse. Damares revelou que o modelo do programa poderá ser replicado em outras regiões da Amazônia, citando Acre, Roraima e Rondônia. “Este é um governo que abraça todos”, afirmou.

 

assina

Ao lado de Damares, Montezano assina o acordo de cooperação

 

Como contribuição ao Abrace o Marajó, o BNDES está elaborando diagnóstico socioeconômico dos municípios do arquipélago para identificar as principais vulnerabilidades da população da região. Com este trabalho, a instituição prestará auxílio às gestões municipais na mitigação dos problemas do Marajó.

Informações preliminares apontam a necessidade urgente de promoção da cidadania e da inclusão social no Arquipélago do Marajó. A ideia é desenvolver as competências locais no planejamento e na modernização do arcabouço legal-institucional dos municípios para mapear ações que melhorem o ambiente de negócios, gerando empregos e fortalecendo a prestação de serviços de saúde, educação e segurança pública.