BNDES - Agência de Notícias

00:35 21 de September de 2020

Blog do Desenvolvimento

15:00 20/03/2018

Institucional |
Macroeconomia |
Economia |

Crédito e recuperação da economia

Em 2017, o Brasil finalmente vislumbrou sinais que apontam para uma retomada da economia. O ano encerrou-se com 1%  de crescimento do produto interno bruto (PIB), recuperação dos empregos, do consumo e da produção. Contudo, o investimento continuou apresentando resultado negativo. Essa combinação de sinais divergentes justifica-se pela persistência de um ambiente de incerteza. Tal conjuntura acaba por se refletir em dificuldades para concessões de crédito ao investimento e à atividade produtiva. Não por acaso, a concessão de crédito às empresas apenas ensaia uma ligeira recuperação. 

O gráfico abaixo apresenta a evolução das concessões de crédito para pessoas jurídicas (PJ) entre março de 2011 e janeiro de 2018, acumuladas em 12 meses, e o crédito para capital de giro com recursos livres. A despeito do crédito para pessoas jurídicas como um todo ter iniciado uma sutil inflexão no último trimestre de 2017, o crédito para capital de giro, muito ligado ao ambiente de negócios e ao ritmo de recuperação da atividade, continua apresentando contração.

Concessões de credito a pessoa jurídica e crédito para capital de giro com recursos livres – fevereiro de 2012 a janeiro de 2018  (R$ bilhões acumulados em 12 meses)

BNDES - imagem ilustrativa

Fonte: Banco Central do Brasil.

 

A disponibilidade de crédito é uma condição importante para a recuperação mais vigorosa e sustentável da atividade econômica. Sua escassez, fruto de um contexto ainda instável, pode inviabilizar atividades eficientes e comprometer a produtividade e a geração sustentável de empregos em diversos setores.

 

Nesse sentido, a elevação da oferta de crédito para capital de giro, como forma de compensar a contração excessiva do crédito em um período especial, é de grande importância para garantir que a atividade econômica se mantenha em patamar mais eficiente de funcionamento.
 

Usado para pagar salários, manter estoques e outras despesas operacionais, o capital de giro garante a continuidade das operações das empresas, favorece a manutenção de postos de trabalho e possibilita a realização de investimentos importantes à elevação da produtividade das empresas. É importante ressaltar que essa condição é ainda mais relevante no caso das micro, pequenas e médias empresas — que, historicamente, têm maior dificuldade de acesso ao crédito, mesmo em cenário de maior estabilidade.
 

BNDES - imagem ilustrativa

* campo obrigatório